music_note
  • ¡HAZ TU PROGRAMA!
  • ¿QUÉ HACEMOS POR TI?
  • EVENTOS LATINOS
  • CONTACTO

ACTUALIDAD

Alcântara, Odivelas e Alvalade: O Melhor Croissant da Minha Rua abre três novas lojas em Lisboa

todayjunio 24, 2020 22

Fondo
share close

O segredo está na simplicidade do monoproduto – aqui o croissant não é folhado nem brioche, é um misto dos dois. André Cidade, que dá a cara pelo negócio, abriu a primeira loja d’O Melhor Croissant da Minha Rua em 2016, no centro de Sesimbra, e a partir daí foi vê-las multiplicarem-se que nem cogumelos. Às três novas lojas abertas em Lisboa, juntar-se-ão em breve mais quatro, numa conquista por outras zonas.

“É mais fácil manter um padrão de qualidade num único produto e é esse o nosso foco e a receita do sucesso que temos vindo a construir”, explica André. “Claro que tivemos uma quebra durante o confinamento, ainda não voltámos à normalidade, mas o croissant é um produto que as pessoas consomem sempre e isso dá alguma confiança aos nossos parceiros de franchising, que nos ajudam a dar a conhecer O Melhor Croissant da Minha Rua a cada vez mais pessoas”.

Os croissants são dourados e com uma fina camada de açúcar por cima, e é esse ponto caramelo que os faz especiais. “Normalmente não se pode agradar a todos os clientes, que ou gostam de brioche ou gostam de folhado, mas nós conseguimos encontrar o equilíbrio dos dois”, diz.

Servem-se simples (1,20€) ou com recheio (entre os 1,80€ e os 3,80€) em 13 versões doces ou salgadas: morango, chocolate, queijo fresco, presunto e queijo seco, com pasta de atum ou de frango. Há ainda uma edição limitada a cada mês.

A marca já conta com sete lojas na zona da Grande Lisboa, com espaços em Alcântara, na Avenida Marquês de Tomar, na Avenida da Igreja, Odivelas, Carcavelos, Sesimbra e Setúbal. André Cidade prevê mais aberturas até ao final do ano, sendo que há pelo menos quatro que abrem brevemente nas Laranjeiras, Azeitão, Almada e Cascais. 

+ Leia aqui a Time In desta semana e descubra as melhores praias a menos de uma hora de Lisboa

+ Miguel Oliveira criou uma rabanada recheada com Pudim do Abade

Escrito por Comunicación Cultural

Rate it

Artículo anterior


Publicaciones similares


Portuguese PT Spanish ES
0%