O Twitter anunciou esta terça-feira, dia 17, que os Fleets serão disponibilizados para todos os utilizadores. Ainda que as publicações efémeras sejam altamente populares em outras redes sociais – como acontece com as Stories do Instagram – os utilizadores do Twitter não parecem satisfeitos e já fizeram notar que os Fleets podem ser usados em campanhas de assédio.

Como demonstra um utilizador de nome Andrew Thaler, o Fleet pode ser usado para mencionar páginas que tenham bloqueado o utilizador, o que abre portas para serem iniciadas campanhas de assédio. Imaginando que um utilizador com milhares de seguidores é bloqueado por uma página, seria possível a esse seguidor mencionar uma página para direcionar campanhas de assédio.

O mesmo utilizador nota que, caso o ‘tweet’ de alguém seja mencionado pelo Fleet de outra pessoa, o autor não é notificado e, dessa forma, torna-se difícil reportar casos de assédio e abuso online.

O Twitter já veio fazer saber que “está sempre a ouvir feeback” e que “manter as pessoas seguras é uma grande prioridade”. Entretanto, a empresa já adiantou que fará com que os Fleets respeitem as definições de bloqueio de contas e que serão implementadas notificações.

What that means is that you can use Fleet to direct your followers to harass someone and there is no way for the target to identify the source of the harassment. Shut it down, @twitter. pic.twitter.com/BjSSzcz2Q4

— Andrew Thaler (@DrAndrewThaler) November 17, 2020

It appears as though tweets from protected accounts cannot be shared as fleets… so… yay? At least they did not work absolutely every safety feature.

— Andrew Thaler (@DrAndrewThaler) November 17, 2020

Portuguese PT Spanish ES
0%