Teresa Al Dente tem corrido o mundo no último ano, na verdade sem sair de um estúdio em Sintra, alugado em Junho de 2020. Já foi host de eventos online para mais de 200 mil pessoas, “incluindo a mulher de Mark Zuckerberg”, e a sua empresa, a Drag Taste, tem a experiência online do Airbnb número 1 do planeta, “Sangria and Secrets With Drag Queens”, já recomendada pelo New York Times, pela Forbes e pelo Washington Post.

Por cá, a empresa passa mais ou menos despercebida, mas é “provavelmente a única do país a receber turistas todos os dias”, diz Pedro Pico, o fundador, que encarna a drag queen Teresa Al Dente. É igualmente a “única casa com espectáculos todos os dias” – ainda que virtuais. Não admira que tenha contratado este ano, a meio de uma pandemia, vários actores, bailarinos e drag queens que ficaram sem os seus trabalhos habituais em teatros, bares e discotecas. Além de freelancers, a Drag Taste tem 18 drags a full-time. Uma loucura.

O teatro, a animação e a comida sempre fizeram parte da vida de Pedro, agora com 30 anos. Aliás, foi por gostar demasiado de comida que entrou no mundo do espectáculo. Treinava luta greco-romana, até ter sido visto “por um olheiro no Ateneu” que o aliciou para o wrestling. “Tinha uma personagem, o Iceborg, e comecei a fazer combates. Com 17 anos já tinha 160 quilos.” Competia pela Europa fora e tinha de pagar dois bilhetes de avião para caber no lugar. “Quando estava a fazer wrestling no estrangeiro estava a tirar medicina veterinária. Desisti da veterinária por causa do wrestling e desisti do wrestling por causa da minha saúde.” Tinha 185 quilos quando fez um bypass gástrico e num ano perdeu 90. “Parei de comer quatro frangos num almoço para comer uma coxa e meia. Em vez de três litros de coca-cola numa tarde, bebia água e chá”, recorda.

Entretanto conheceu um canadiano que estava a dar a volta ao mundo a pé. “Juntei-me à viagem e fomos para África. Estive dois anos a andar a pé, fiz mais de 35 países.” Tinha-se instalado numa praia em Moçambique quando se apaixonou por um rapaz online, que o fez voltar a Lisboa, em 2012. O casal, conhecido nas redes sociais como “Pedro e Lorenzo”, tornou-se um fenómeno e chegou a ganhar um prémio da ILGA Portugal. Partilhavam receitas no YouTube e tornaram-se virais com um vídeo a andar de mãos dadas pelas ruas da capital – tem mais de dois milhões de visualizações.

LGBT+, Drage Taste, Backstage
©DR

Foi precisamente com vídeos de comida primeiro e experiências gastronómicas para turistas depois que a Drag Taste e Teresa Al Dente, personagem que ocupa hoje grande parte dos dias de Pedro, começaram a ganhar forma em 2019. Nesse ano fez jantares em casa para turistas, uma experiência do Airbnb que aproveitava a febre do RuPaul’s Drag Race para pôr os convidados maquilhados e de peruca. “Comprei centenas de perucas na Amazon”, conta. A cooking party foi um fenómeno no Verão desse ano, quase sempre esgotada. Tinham-se mudado há pouco tempo para um estúdio na LX Factory, onde também organizavam brunches – e onde famosos como Toy, Jessica Athayde ou José Castello Branco fizeram festas de anos –, quando estalou a pandemia e foram obrigados a reinventar-se no mundo virtual.

A brincadeira correu bem. Propuseram ao Airbnb uma experiência online com drag queens e sangria que foi um sucesso. “Em Abril [de 2020] passámos as mil reviews [de cinco estrelas] e já estávamos a fazer três turnos para apanhar [o fuso horário da] Austrália e Japão. Era non-stop.” Já num estúdio em Sintra, com material novo e uma equipa maior, prepararam o “cLock Down”, um musical interactivo para miúdos, que tem sido procurado por várias escolas nos Estados Unidos.

Hoje, a Drag Taste é uma espécie de Disneyland Drag, com eventos online todos os dias. O recorde foi a 18 de Dezembro, com 58 experiências num só dia, a maior parte para grandes empresas internacionais (só duas portuguesas aderiram). E ideias para o futuro não faltam. Vão lançar um drag bingo e um drag yoga. Além do musical para crianças (que conta com Filomena Cautela), têm uma experiência para namorados e para blind dates.

Apesar deste sucesso online, Pedro não esquece os eventos em carne e osso. Espera voltar a receber turistas e portugueses já a partir de Janeiro de 2022, num novo espaço na Calçada da Estrela. Os planos incluem o espectáculo da sangria ao vivo e um drag brunch mais ambicioso, com 50 artistas. Aguardemos, pacientemente. Para já, continuam as experiências on-line, que obrigam Pedro Pico a perder quase três horas por dia em maquilhagem para dar vida a Teresa Al Dente.

Experiências online a partir de 16 euros em dragtaste.com.

+ A nova edição da revista trimestral Time Out Lisboa já está nas bancas

+ Oito séries LGBT+ para ver ou rever

Portuguese PT Spanish ES
0%