music_note
  • ¡HAZ TU PROGRAMA!
  • ¿QUÉ HACEMOS POR TI?
  • CONTACTO

ACTUALIDADE EM PORTUGAL

João Rodrigues, Feitoria e O Velho Eurico voltam a conquistar os prémios Mesa Marcada

todayenero 12, 2022

Fondo
share close

João Rodrigues, Feitoria e O Velho Eurico voltam a conquistar os prémios Mesa Marcada

Num ano que não se revelou assim tão diferente do anterior (por todas as razões que se conhecem), são poucas as novidades dos prémios Mesa Marcada, o site de gastronomia fundado há mais de uma década por Miguel Pires e Duarte Calvão. A cerimónia, que aconteceu esta quarta-feira, foi transmitida online, como já tinha acontecido no ano passado, e premiou João Rodrigues e o seu Feitoria nas categorias de chef e restaurante preferidos – é a sexta vez consecutiva que acontece. À semelhança da última edição, António Galapito e o Prado ficaram em segundo lugar.

Também o Velho Eurico, liderado por Zé Paulo Rocha e Fábio Algarvio e que já no final de 2021 foi premiado pela Time Out como a melhor tasca, voltou a receber o prémio Mesa Diária, que distingue o melhor restaurante para o dia-a-dia, à frente do Prado Mercearia e do Tati (restaurante do ano para a Time Out). 

Mas nem só de repetentes se fez a festa e houve novas categorias: a Comida Independente, em Lisboa, foi considerada a loja gastronómica de 2021, e a Adega de São Nicolau, no Porto, recebeu o Prémio Especial Restaurante Clássico do Ano. Vasco Coelho Santos, dono de um dos restaurantes fine dining mais conceituados do Porto, o Euskalduna Studio e que este ano não teve mãos a medir, foi distinguido como empresário de restauração do ano, e Miguel Castro e Silva, também do Porto, recebeu o prémio carreira, escolhido (tal como a de restaurante clássico do ano) por um painel de júri muito particular: foram apenas convidados a votar os vencedores dos Top 10 dos últimos cinco anos e também os que arrecadaram prémios especiais. São eles: Alexandre Silva, André Lança Cordeiro, André Magalhães, António Bóia, António Galapito, Carlos Afonso, Carlos de Albuquerque Teixeira, Filipe Carvalho, Hans Neuner, Henrique Sá Pessoa, Joachim Koerper, João Oliveira, João Rodrigues, José Avillez, Leonel Pereira, Marlene Vieira, Pedro Pena Bastos, Ricardo Costa, Rodrigo Castelo, Vasco Coelho Santos, Vítor Sobral e Zé Pedro Rocha.

Das votações para a lista dos “10 Restaurantes e 10 Chefes Preferidos do Mesa Marcada 2021”, liderada então por João Rodrigues e pelo Feitoria, seguido de António Galapito e do Prado, destaca-se a escalada na lista do Ó Balcão, o renovado restaurante de Rodrigo Castelo em Santarém, que subiu 30 lugares, de 42.º para 12.º, valendo ao chef o prémio de destaque do ano. 

Já na tabela dos chefs, a maior subida foi a de Lucas Azevedo, da Barra de Sushi – Praia no Parque, que passou do 24.º para 12.º, conquistando assim o prémio de chef revelação do ano. 

No top 10, evidencia-se também o Arkhe, que subiu três posições, de 9.º para 6.º, e do regresso a posições mais cimeiras do Alma (9.º lugar, subiu também três lugares) e do Belcanto (que subiu de 6.º para 4.º lugar). De igual modo, nos chefs, destacaram-se ainda nos “10 Preferidos” João Ricardo Alves, do Arkhe, que subiu de 16.º para 10.º lugar.

Tal como já tinha acontecido nos Prémios Time Out, o SEM, de Lara Espirito Santo e George Mcload, em Lisboa, destacou-se como o melhor novo restaurante do ano. 

O Prémio Especial Chefe de Pastelaria 2021, foi para Carlos Fernandes, do Hotel Azor, em Ponta Delgada, enquanto Nádia Desidério, do Belcanto recebeu o prémio escansão do ano. 

Além da subida de posições, o Arkhe foi ainda premiado na categoria de serviço de sala do ano, um trabalho liderado por Alejandro Chávarro. E o prémio de sustentabilidade foi entregue ao Craveiral Farm Table, de Alexandre Silva, o restaurante instalado no hotel Craveiral Farmhouse, em São Teotónio. 

Top 10 Restaurantes

Feitoria (=)
Prado (=)
Ocean (=)
Belcanto (+2)
Euskalduna (=)
Arkhe (+3)
Essencial (-3)
Fifty Seconds (-1)
Alma (+3)
The Yeatman (=)

Top 10 Chefs

João Rodrigues, Feitoria (=)
António Galapito, Prado (=)
Hans Neuner, Ocean (=)
Vasco Coelho Santos, Euskalduna (=)
José Avillez, Belcanto (+1)
André Lança Cordeiro, Essencial (-1)
Henrique Sá Pessoa, Alma (+2)
Alexandre Silva, LOCO (-1)
Filipe Carvalho, Fifty Seconds (-1)
João Ricardo Alves, Arkhe (+6)

+ A “tempestade” da pandemia fechou a Queijaria Machado no Chiado

+ A Tasca do Celso instala-se durante uma semana em Lisboa no JNcQUOI

Escrito por Comunicación Cultural

Rate it

Artículo anterior


Portuguese PT Spanish ES
0%