music_note
  • ¡HAZ TU PROGRAMA!
  • ¿QUÉ HACEMOS POR TI?
  • CONTACTO

ACTUALIDADE EM PORTUGAL

Made in Sintra: Casa Piriquita é uma das primeiras marcas certificadas

todayenero 21, 2022

Fondo
share close

Made in Sintra: Casa Piriquita é uma das primeiras marcas certificadas

A Câmara Municipal de Sintra apresentou os três primeiros produtos do concelho com a nova certificação Made In Sintra, uma iniciativa que resultou de um protocolo de cooperação entre a autarquia e a Associação Empresarial de Sintra. O objectivo passa por impulsionar o que é produzido no concelho, dos produtos às ideias únicas “no país e no mundo”, explica a Câmara em comunicado.

No arranque desta iniciativa, foram apresentadas as três primeiras marcas certificadas. Como a Casa Piriquita, uma histórica de Sintra fundada em 1862 e que faz as delícias dos locais e dos visitantes, com destaque para os famosos e estaladiços travesseiros. Os vinhos produzidos pela Adega Regional de Colares também receberam a certificação Made In Sintra, nesta que é a adega cooperativa mais antiga do país (desde 1931), além da fábrica Azulcer, um projecto mais recente fundado em 2016, mas que se distingue pela produção do azulejo tradicional português.

Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para que os nossos produtos tenham a promoção que lhes é devida, prometeu Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra, acrescentando que é um privilégio para a autarquia apoiar estas iniciativas que apoiam e levam o concelho além das suas fronteiras, projectos que reflectem quem investe e divulga o melhor que se faz no nosso território”. Paulo Veríssimo, presidente da Associação Empresarial do Concelho de Sintra, explicou que este projecto tem o como eixo unir, desenvolver e ajudar a promover os produtos da região, não só pelos tempos que estamos a viver, mas para valorizar e ajudar as empresas do concelho”.

+ Palácio Nacional de Sintra redescobre galeria única do século XVI

+ Leia já, grátis, a edição digital da Time Out Portugal desta semana

Escrito por Comunicación Cultural

Rate it

Artículo anterior

ACTUALIDADE EM PORTUGAL

O Pátio das Antigas: Botões, linhas, bonés e muito mais

Além das lojas de capelistas, havia os capelistas ambulantes, que vendiam em carrinhos desde artigos de costura até chapéus, bonés, atacadores ou calçadeiras. “Chapéus há muitos! E bonés também! E botões, e linhas!”, costumava apregoar um capelista ambulante que andava pela zona da Baixa com o seu carrinho, faz agora 50 ou 60 anos. As capelistas (também conhecidas por retrosarias) são pequenas lojas de bairro – sobrevivem ainda algumas, muito poucas, em […]

todayenero 21, 2022 3


Portuguese PT Spanish ES
0%