ACTUALIDADE EM PORTUGAL

Neste salão serve-se champanhe, looks de festival e nail art

todayabril 10, 2024 1

Fondo
share close

Neste salão serve-se champanhe, looks de festival e nail art

De cabeleireiros está a cidade cheia, mas um do calibre G Bar já tardava. Em 2015, nasceu o primeiro, na Ucrânia. Seguiu-se a abertura de mais espaços – em Espanha, na Alemanha, em Itália, na Áustria. Nos Estados Unidos, em Los Angeles, soma mais um. No início de 2024, abriu finalmente na capital portuguesa, perfazendo 69 G Bars no mundo inteiro. O salão oferece serviços de unhas, cabelo e maquilhagem, mas, acima de tudo, quer criar uma comunidade em torno da beleza e do bem-estar.

Tudo começou quando Lera Borodina criou o Oh My Look!, um serviço de aluguer de vestidos, que rapidamente se tornou um sucesso e deu o mote para a criação de algo diferente. Juntamente com Sabina Musina, as duas abriram o primeiro G Bar. “A principal ideia era criar uma nova tendência de espaços de beleza, porque parecia um lugar onde a festa não acabava”, mas “mais do que uma festa, transformou-se numa comunidade de beleza, porque temos muitas raparigas que se importam, não só com a aparência, mas também com o interior”, começa por explicar Olena Overchenko, embaixadora do primeiro G Bar em Lisboa.

Olena Overchenko
© Francisco Romão PereiraOlena Overchenko

Há oito anos, Olena visitou pela primeira vez um dos espaços em Kiev e percebeu que havia ali potencial. Depois de vir viver com a família para Portugal, há dois anos, ficou com vontade de trazer a cadeia para Lisboa. “Os serviços de beleza na Ucrânia têm muita qualidade, trabalhamos para isso e a fama é mundial.” “Vejo como as pessoas reagem cá, gostam muito do G Bar e, por isso, queria tornar isto um ponto de encontro para toda a gente”, continua a embaixadora da marca.

O salão fica perto do Rato e no espaço predominam o azul e o cor-de-rosa. À chegada, cada cliente é recebido com uma bebida – água, café, chá ou champanhe. A equipa é constituída por 21 pessoas. As áreas estão divididas consoante o tipo de serviço prestado. Logo à entrada, depois de passar a recepção, encontramos a zona dedicada às unhas. Pode optar pelo serviço completo de manicure (50€), que inclui remoção de verniz, manicure e gelinho (apenas uma cor), e nail art (3€-35€), numa só unha ou em todas se preferir. Também pode optar por um fortalecimento de unhas com Vita Gel (20€). A pedicure é feita numa outra sala.

G Bar
© Francisco Romão PereiraG Bar

No que toca ao cabelo, há tratamentos de hidratação profunda e anti-queda (65€-90€), serviços de corte (20€-70€), para mulher, criança e homem, de texturização (50€-90€), penteados de noiva (75€-150€), coloração (80€-400€) e tonalização (100€-125€). No G Bar, as sobrancelhas também podem ser retocadas e laminadas (55€) e, no departamento de maquilhagem (5€-140€), pode optar por vários looks, consoante a ocasião. Se quiser fazer mais do que uma coisa ao mesmo tempo, basta optar por um serviço em paralelo.

 

G Bar
© Francisco Romão PereiraG Bar

Em breve, além dos já existentes, será disponibilizado um serviço focado no bem-estar psicológico e espiritual. A G Skin será uma vertente ligada ao sound healing, tratamentos faciais e meditação, mas tudo natural e nada de injecções, salvaguarda Olena. No G Bar, encontra ainda vários produtos à venda, desde produtos para o cabelo e corpo a artigos de papelaria. 

Em Lisboa, já está planeada a abertura de um segundo G Bar, apontada para este Verão. Será no Parque das Nações e a embaixadora adianta que o espaço será ainda maior e poderá ter até uma zona de café. No Porto, também podemos esperar por um G Bar, mas falta saber para quando.

Siga o novo canal da Time Out Lisboa no Whatsapp

+ Ei, tenho cravos nos pés (e meias portuguesas)

Escrito por

Rate it

0%