No Ajitama já é possível pagar com criptomoedas, uma novidade na restauração

É mais uma forma de pagamento, que tem vindo a ganhar terreno e que começa agora a entrar na restauração lisboeta. No Ajitama, já é possível pagar o conforto japonês de um ramen com criptomoedas. Quem optar por esta forma de pagamento digital terá direito a um cocktail exclusivo.

No Ajitama nada é deixado ao acaso e António Carvalhão e João Ferreira, fundadores do restaurante que começou como um concorrido supper club, não descansam sobre o sucesso. Desta vez, a dupla decidiu acompanhar a era da digitalização financeira, aceitando o pagamento com Bitcoin, Bitcoin Cash, Ethereum, Dogecoin, Litecoin, DAI e USDC – as criptomoedas aceites pelo restaurante.

Ajitama
ARNALDO CELLANI JUNIOR

“Acresce a vantagem de ser um pagamento digital, com a tecnologia contactless, o que confere alguma segurança e higiene adicional numa altura em que esses aspectos são cada vez mais valorizados pelos consumidores”, lê-se na nota do Ajitama, que dá ainda conta da oferta especial para estes clientes. 

Todos os que pagarem com criptomoedas poderão descobrir o cocktail Satoshi Nakamoto (suposto criador da primeira moeda digital a circular), composto por whisky japonês Nikka, café, sementes de sésamo tostadas e pepitas de yuzu. 

A taxa de câmbio a que é feito o pagamento é dada no momento da transacção, convertendo do valor em Euros para a respectiva cripto tendo em conta o seu valor naquele preciso momento. 

Já na hora de escolher o ramen, se quiser jogar pelo seguro, aposte no shio ou no shoyu, ou então vá com tudo para o spicy miso, que combina o miso e o la-yu, um óleo picante. 

 + Thank You Mama, pelo pequeno-almoço familiar fora de casa

+ Oeiras mete “tudo ao molho” no Festival de Francesinha

Portuguese PT Spanish ES
0%