music_note
  • ¡HAZ TU PROGRAMA!
  • ¿QUÉ HACEMOS POR TI?
  • CONTACTO

ACTUALIDADE EM PORTUGAL

No novo restaurante da Calçada do Ferragial cozinha-se na brasa e à vista de todos

todayseptiembre 1, 2021 1

Fondo
share close

O novo restaurante da Calçada do Ferragial está pronto há um ano, mas a pandemia manteve-o fechado. Agora, de portas abertas, convida a cidade a ver o Josper em acção. O equipamento, que combina churrasqueira e forno num só, não só é uma referência entre chefs e restaurantes por todo o mundo, como a verdadeira pièce de résistance do projecto de Robson Oliveira. Com uma cozinha totalmente aberta, atrás do balcão corrido que percorre toda a largura do espaço, o Bono promete apostar em técnicas clássicas, fumados na brasa e produtos locais. No menu, os pratos principais competem com as sobremesas e os cocktails, servidos como peças de arte.

“Quando era adolescente, fui músico e tinha essa vontade de me expressar através da arte. Nos anos 2000, houve o boom da gastronomia e acabei por seguir essa área. Ainda não é bem vista como arte, mas para mim é”, diz Robson. Natural de Brasília, o chef é historiador, especialista em cozinha francesa e mestre em ciências gastronómicas. Mas assume-se, sem hesitar, um artista. Os seus pratos, diz, são obras efémeras: para ver, cheirar, sentir, provar e até ouvir, desde a primeira à última garfada. “A expectativa é a parte mais difícil, porque as pessoas querem comer aquilo que imaginaram na sua cabeça. Há ainda essa parte, da imaginação.”

Restaurante Bono
Fotografia: Gabriell Vieira

Seguro de que a experiência começa mesmo antes de nos sentarmos à mesa, Robson decidiu, por um lado, manter as características do edifício, do pé direito alto ao estilo industrial, a que se juntou o mobiliário funcional e a iluminação estratégica. E, por outro, arrojar nos pratos. Pensados para tirar partido da sazonalidade, são inventivos e coloridos. É o chef que o diz – e é fácil confirmar assim que se põe o olho no ceviche de corvina (12,50€). Marinado por cinco minutos, vem acompanhado de flores comestíveis, pérolas de tapioca e um molho ponzu feito com melaço de cana, numa homenagem aos sabores do Brasil, terra natal do chef.

Restaurante Bono
Fotografia: Gabriell VieiraCeviche de corvina (12,50€)

“A minha paixão é a cozinha indígena”, revela-nos, com os olhos a brilhar. E, apesar de não se limitar a uma única gastronomia, não se esquece dessa vocação atlântica nem da paixão pela cozinha na brasa. “Com o Josper, mantemos os sabores da grelha ao ar livre, sem o inconveniente do fumo.” Exemplo perfeito é a suculenta picanha angus uruguaia (20€), feita à moda brasileira, com aproximadamente dois centímetros de espessura e servida com batatas fritas e molho demi-glace, um clássico da culinária francesa. É também no forno, para dar um toque fumado, que se prepara o barbecue de polvo (19,50€), acompanhado de agrião tostado na brasa, puré de grão-de-bico e limão confit.

Restaurante Bono
Fotografia: Gabriell VieiraCreme de tiramisu de café e chocolate (6€)

Há mais “entradas triunfais” e “actores principais” na ementa. Mas “a maior das belas-artes” são as sobremesas, desde a panacota artesanal com manga e maracujá (5€) até ao creme de tiramisu de café e chocolate (6€), que vem com um palito crocante para terminar em grande. Para acompanhar a refeição, só tem de escolher entre vinho e cocktails. O chef destaca o Giverny (9€), com Gin Hendricks, água tónica e um concentrado de frutos vermelhos, e o novo Where’s my chocolat (9€). Esta última proposta ainda não se encontra na carta, mas é para bocas doces: leva Baileys e o licor de amêndoas Disaronno.

Restaurante Bono
Fotografia: Gabriell VieiraSalada de cenoura tostada (10,50€)

Quando a estação mudar, Robson Oliveira promete introduzir pelo menos uma novidade: uma salada de cenoura tostada (10,50€), com queijo de cabra, mel, pipoca de semente de girassol, nozes e vinagrete, para sobressair entre propostas mais pesadas, como o steak tartare de novilho na ponta da faca (12,50€), com ovo mollet, alcaparra crocante e pickles de cebola roxa com molho oriental. Mas está aberto a sugestões e gostava muito de ver mais pessoas a sentar-se ao balcão. Afinal, um conversador nato não dispensa um bom tête-à-tête, nem à mesa.

Calçada do Ferragial 9. Ter-Dom 17.00-23.00.

+ Ostras e espumante: o Verão não acaba tão cedo no La Contessa

+ Leia já, grátis, a edição digital da Time Out Portugal desta semana

Escrito por Comunicación Cultural

Rate it

Artículo anterior

ACTUALIDADE EM PORTUGAL

O fado vai bater forte no CCB

Goste-se ou não, o fado é um pilar da cultura portuguesa, um dado adquirido, uma tradição inabalável. Apesar disso, paradoxalmente, pouco se sabe sobre as suas origens, sobretudo no que diz respeito às danças que lhe estão associadas. Numa tentativa de escarafunchar os buracos da historiografia do fado dançado, resgatá-lo e reinterpretá-lo, a dupla Jonas&Lander criou Bate Fado, um espectáculo ancorado num importante processo de pesquisa que se foca no […]

todayagosto 31, 2021


Portuguese PT Spanish ES
0%