A Livraria Torrens, situada na Baixa, era a mais antiga da capital especializada em livros espanhóis e da América Latina. Fechou as portas há alguns anos.

Lisboa já foi uma cidade de muitas e variadas livrarias, a maior parte e as melhores delas situadas na Baixa. Não vendiam quase somente livros portugueses, como acontece agora, mas também uma grande escolha de títulos estrangeiros, em especial ingleses, americanos e franceses. Como pode comprovar quem frequentava a Bertrand do Chiado, ponto obrigatório dos consumidores regulares de paperbacks chegados directamente dos EUA ou de Inglaterra, ou ainda a Buchholz na sua anterior encarnação, o paraíso dos compradores de livros importados.

A Livraria Torrens era uma das muitas da Baixa lisboeta. Pertenceu ao casal com o mesmo nome e era a mais antiga livraria da capital especializada em livros espanhóis e da América Latina. Lisboa chegou a ter três destas livrarias, sendo as outras duas a Alcalá (o nome da terra onde nasceu Cervantes) e a Assírio & Alvim, esta última não exclusivamente, mas mesmo assim com uma boa oferta, sobretudo de poesia e de revistas literárias espanholas. Com uma montra bem rasgada e um espaço onde apetecia ficar durante bastante tempo a ver as estantes, a Torrens propunha uma grande variedade de livros técnicos e científicos em espanhol, da Medicina à Construção civil e à Informática, assim como títulos de disciplinas como a História ou a Linguística, mas também de ficção. Tal como outras da Baixa, encerrou já no nosso século.

Lisboa de outras eras:

+ O Pátio das Antigas: A praia do garrafão

+ O Pátio das Antigas: Os castiços Palhinhas

+ O Pátio das Antigas: O brilho de A Enceradora

Portuguese PT Spanish ES
0%