music_note
  • ¡HAZ TU PROGRAMA!
  • ¿QUÉ HACEMOS POR TI?
  • CONTACTO

ACTUALIDADE EM PORTUGAL

O Pátio das Antigas: O eléctrico faz anos

todayseptiembre 19, 2021 2

Fondo
share close

O Pátio das Antigas: O eléctrico faz anos

Há 120 anos que circulam eléctricos pelas ruas de Lisboa. No auge da rede da Carris, em 1958, havia quase 30 carreiras. Hoje, restam apenas meia dúzia.

Cais do Sodré-Algés. Esta foi, a 31 Agosto de 1901, fez há pouco 120 anos, a primeira carreira de eléctricos a circular em Lisboa. A rede electroviária da capital foi desenvolvida pela Companhia dos Carris de Ferro de Lisboa, que absorveu, desde a sua fundação em 1872 até ao início do século XX, todas as restantes empresas de transportes de Lisboa (exceptuando a célebre companhia dos carros do “Chora”, que se manteve até 1917) com tracção cavalar sobre carris, os “americanos”. Os primeiros modelos de eléctricos da capital eram abertos, da marca Brill, e chamados pelos populares de “almanjarras”.

A foto desta página data de 1910 e mostra um eléctrico já fechado. No apogeu da rede de eléctricos em Lisboa, em 1958, existiam cerca de 30 carreiras. A maioria acabava nos Restauradores, no Rossio, na Praça do Comércio ou no Martim Moniz, daí partindo para toda a cidade. Era mais chique as senhoras tomarem o eléctrico, em vez do autocarro, para irem fazer compras à Baixa. Mas a rápida vulgarização dos autocarros, a inauguração do Metropolitano, em 1959, e o gradual aumento do volume de carros na capital, levaram à retracção contínua da rede dos eléctricos ao longo das décadas seguintes, e foram sendo suprimidos trajectos e estações.

Hoje, 120 anos depois do primeiro eléctrico ter ligado o Cais do Sodré a Algés, restam meia dúzia de carreiras.

+ O Pátio das Antigas: A praia do garrafão

+ O Pátio das Antigas: Os castiços Palhinhas

O Pátio das Antigas: O brilho de A Enceradora

Escrito por Comunicación Cultural

Rate it

Artículo anterior


Portuguese PT Spanish ES
0%