music_note
  • ¡HAZ TU PROGRAMA!
  • ¿QUÉ HACEMOS POR TI?
  • CONTACTO

ACTUALIDADE EM PORTUGAL

O Pátio das Antigas: O Mergulhão dos cordões de ouro

todayabril 10, 2022 4

Fondo
share close

O Pátio das Antigas: O Mergulhão dos cordões de ouro

Chamava-se Manoel Carlos Mergulhão e era também conhecido em Lisboa como “o Mergulhão dos cordões de ouro”. Isto porque foi o fundador e proprietário daquela que era, à época, a mais conhecida ourivesaria de Lisboa, a Ourivesaria e Relojoaria Mergulhão, que abriu as suas portas no dia 4 de Setembro de 1895, na Rua de S. Paulo. Foi o próprio Manoel Carlos Mergulhão que se auto-denominou, para fins publicitários, “o Mergulhão dos cordões de ouro”, uma designação que aparece habitualmente nos muitos anúncios que fazia publicar na imprensa. E que chegaram, inclusivamente, a ter a forma de sonetos.

Manoel Carlos Mergulhão gostava de ter o retrato nesses anúncios, e de posar orgulhosamente no interior do seu estabelecimento, como se pode ver na foto reproduzida nesta página. Entre outras marcas prestigiadas, representou a Patek Philippe e a Longines, e entre várias outras peças, os serviços de chá e os faqueiros da Ourivesaria e Relojoaria Mergulhão eram também muito afamados, sendo fornecedora do corpo diplomático. Esta ourivesaria chegou a ter uma sucursal na Rua do Ouro na primeira década do século XX, mas a aposta não vingou e Manoel Carlos Mergulhão voltou a centrar-se na loja da Rua de S. Paulo, que acabou por encerrar algures na década de 80. No endereço que o “Mergulhão dos cordões de ouro” ocupou durante quase 90 anos, encontra-se hoje um cabeleireiro.

Coisas e loisas da Lisboa de outras eras:

+ O hotel que acabou em ministério

+ O restaurante do retrato de Pessoa

+ A Penitenciária em construção

Escrito por Comunicación Cultural

Rate it

Artículo anterior


Portuguese PT Spanish ES
0%