music_note
  • ¡HAZ TU PROGRAMA!
  • ¿QUÉ HACEMOS POR TI?
  • CONTACTO

ACTUALIDADE EM PORTUGAL

Salão Lisboa invade “espaços de memória” com cinema ao ar livre

todayjunio 20, 2022 3

Fondo
share close

Salão Lisboa invade “espaços de memória” com cinema ao ar livre

A 2.ª edição do Salão Lisboa, que se propõe a honrar e reavivar a memória dos cinemas de rua no bairro de Alvalade, arranca já a 2 de Julho, no largo ao lado do antigo Cinema King. A programação, que se estende por outros espaços até dia 23, inclui quatro filmes, com uma sessão por dia, sempre às 22.00 e ao ar livre. A entrada é gratuita e os filmes vão ser exibidos numa tela de cinema gigante e insuflável.

“Dos anfiteatros gigantescos aos salões sociais e aos pequenos estúdios, os cinemas da cidade ofereceram histórias, universos e imagens de forma generosa durante um século. Hoje, existem três cinemas de rua em Lisboa, resistentes ao avanço dos complexos comerciais e das novas plataformas”, lê-se em comunicado da organização, empenhada em resgatar as memórias do King Triplex (um dos mais longevos e um dos últimos a fechar), do Quarteto (hoje um espaço de cowork), do Caleidoscópio (hoje gerido pela Universidade de Lisboa como auditório) e do ABCine (que existia no Centro Comercial de Alvalade).

A primeira sessão, marcada para 2 de Julho, no largo da Rua Bulhão Pato, ao lado do antigo Cinema King, será dedicada a Alcindo Monteiro, vítima de um crime racista, com a exibição do filme de Miguel Dores, Alcindo.

Já a 9 de Julho, no Places, antigo cinema Quarteto, é a vez de Kilas, o Mau da Fita, realizado por José Fonseca e Costa, com argumento de Sérgio Godinho. O protagonista é Rui Tadeu, mais conhecido por Kilas, que vive à custa de uma artista de variedades, Pepsi-Rita, e lidera um grupo de marginais, contratados para vigiar um prédio.

Mais tarde, a 16 de Julho, o grande ecrã muda-se para o Jardim dos Coruchéus, para a exibição do documentário Já Estou Farto!, de Paulo Miguel Antunes, que recebeu apoio da Junta de Freguesia de Alvalade. Contado na primeira pessoa, é um retrato intimista de João Pedro Almendra, antigo vocalista dos Peste Sida, e do género underground da música portuguesa, dos idos anos 80 até ao presente.

Por fim, a 23 de Julho, o Jardim do Campo Grande, junto ao Caleidoscópio, recebe a última sessão do Salão Lisboa. Realizado por Alain Tanner, A Cidade Branca conta a história de Paul, mecânico a bordo de um navio de carga, que desembarca em Lisboa sem razão particular.

Lisboa, vários locais. 2, 9, 6 e 23 Jul, 22.00. Entrada livre.

+ Os melhores ciclos de cinema ao ar livre em Lisboa

+ Já aproveitou as promoções da edição especial da Time Out no Freeport Lisboa Fashion Outlet?

Escrito por Comunicación Cultural

Rate it

Artículo anterior

ACTUALIDAD

El PP cree que Andalucía “pone en marcha el reloj” para desalojar la Moncloa

Resaca feliz como no recordaban en Génova 13. El PP cotiza al alza tras la victoria por mayoría absoluta este domingo en Andalucía. 58 diputados que interpretan como un KO a Pedro Sánchez y a Vox, como un aldabonazo a sus aspiraciones en unas elecciones generales y un respaldo al giro de timón de su nuevo líder. "El PP no es la oposición, Feijóo no es la oposición, es la alternativa. Ayer se puso el reloj en marcha para que […]

todayjunio 20, 2022


Portuguese PT Spanish ES
0%