music_note
  • ¡HAZ TU PROGRAMA!
  • ¿QUÉ HACEMOS POR TI?
  • CONTACTO

ACTUALIDADE EM PORTUGAL

Um fine dining in.Vulgar na Baixa

todaymayo 10, 2022

Fondo
share close

Um fine dining in.Vulgar na Baixa

Um espaço dedicado à alta-cozinha sem menu de degustação é coisa difícil de encontrar. Mas é precisamente por aí que o novo restaurante da Rua dos Fanqueiros, na Baixa, se quer distinguir. O in.Vulgar, aberto há pouco mais de uma semana, segue a linha sofisticada daquele que lhe antecede – o restaurante Terroir, nascido em 2020 às mesmas mãos –, mas apresenta-se de outra forma. “É um restaurante mais acessível, com um serviço somente à carta. A ideia é ser quase um restaurante diário, enquanto o Terroir será para ir mais esporadicamente. A nossa ideia aqui é ter clientes fixos, que de todas as vezes que venham possam comer coisas diferentes”, esclarece Fernando Carrilho, sócio e gerente dos dois restaurantes.

 In.Vulgar
DR

Mas não é apenas do Terroir que o in.Vulgar se quer diferenciar. “É in.Vulgar porque queremos ser diferentes do resto dos restaurantes que estão aqui à volta. A ideia é darmos mais uma opção de boa comida aqui na zona da Baixa”, explica Carrilho. “Começámos também a reparar que havia muita procura para o Terroir, mas se calhar não queriam fazer os menus de degustação.” Hélder Martins, que já esteve no histórico Tavares Rico, e também nos estrelados The Fat Duck, no Reino Unido, e no Arzak, em Espanha, foi o escolhido para liderar a cozinha. “No Terroir procurámos um chef com experiência Michelin, mas que fosse mais jovem. Aqui queríamos um chef já com bastante presença”, revela Fernando Carrilho. 

Ervilhas com batata-doce e aipo
DR

À mesa estão, então, pratos de “matriz portuguesa, mas com um pouco mais de sofisticação”, como descreve o chef Hélder Martins. Características que se notam logo no couvert, composto por uma selecção de pães, manteigas e azeite (4,50€), e no amuse-bouche, um croquete de leitão e um falso tremoço com cerveja (oferta do chef). Seguimos a refeição com umas ervilhas com batata-doce e aipo (9,50€) e sapateira com legumes da Primavera e halófitas (14€) – entradas que parecem pinturas. Nos pratos principais, optámos por provar o espadarte de Sesimbra, com batata doce e azeitona (28€); e o pato da Marinha Grande, com centeio e favas (23€). Terminámos com as criações do chef pasteleiro João Guerreiro, das quais se destaca uma surpreendente maçã de Alcobaça e miso (7€). Acompanhe tudo isto com cocktails de autor, como o Irish Mango (11€), com whiskey Bushmills, manga, coco e limão; ou o Pinneapple Mezcal (15€), com mezcal, ananás, agave e malagueta. Segundo Hélder Martins, a carta será renovada constantemente para atender à sazonalidade. “Queremos respeitar as estações. Tudo o que está no menu é de agora.” 

Maçã de Alcobaça e miso
DR

Além do apreço pela alta-cozinha, o in.Vulgar partilha com o Terroir o ambiente requintado na decoração das salas. Aqui há espaço para mais de 50 comensais, que se dividem entre mesas junto à janela, zonas mais privadas que piscam o olho aos casais, e uma área mais afastada da porta. E Hélder Martins não esconde: a ambição é poder vir a ganhar uma estrela. “Não deixo de pensar em galardões que possam também acrescer ao nosso trabalho. Temos capacidade total.” 

Rua dos Fanqueiros, 308 (Baixa). 21 886 4177. Ter-Sáb 19.00-23.00

Bernardo Agrela quer recuperar “a magia da sanduíche” no West Mambo

Nem só de choco frito se faz um restaurante em Setúbal

Escrito por Comunicación Cultural

Rate it

Artículo anterior


Portuguese PT Spanish ES
0%