ACTUALIDADE EM PORTUGAL

Este festival vai mostrar-nos como a arte combate a exclusão social

todaymayo 15, 2024 6

Fondo
share close

Este festival vai mostrar-nos como a arte combate a exclusão social

Espectáculos, exposições, workshops, debates e filmes. Há de tudo na programação do InArt – Community Arts Festival. É essa, aliás, a missão: dar a conhecer propostas que – ao cruzar diferentes linguagens, movimentos, pessoas e gerações – sejam reflexo de uma arte comunitária e participativa, capaz de combater a exclusão social. A abertura está marcada para 30 de Maio, às 21.00, no Teatro Meridional, com a apresentação de Rh, da CiM – Companhia de Dança, que conta com um elenco de bailarinos com e sem deficiência.

“O principal objectivo do InArt é promover e divulgar as artes como trabalho profissional, pedagógico e social, sensibilizando os profissionais que intervêm com pessoas com e sem deficiência, e as diversas comunidades, para a importância das artes como ferramenta de combate à exclusão social”, afirma a Vo’Arte, que assina a produção do evento, que conta com acções faladas em inglês e português, bem como interpretação em Língua Gestual Portuguesa.

Além do espectáculo Rh, que se desdobra numa exposição de fotografia para ver até 2 de Junho, e de SOMATATI, também pela CiM, com sessões para escolas de 5 a 7 de Junho, a agenda no Teatro Meridional inclui mais três espectáculos. No dia 8 de Junho, às 21.00, poderá ver With Us. David (28) Meets Hannah (28), da coreógrafa alemã Silke Z, que junta em palco dois bailarinos com habilidades muito diferentes; ou Mala Utopia, de Pedro Carvalho, da associação cultural Ventos e Tempestades, que convidou não-profissionais a questionar-se “como pode um corpo que dança ser um corpo-poesia”.

Já no dia 9, às 17.00, além de uma segunda apresentação da peça de Silke Z, Noé Quintela apresenta A Hierarquia do Medo!, que une um coreógrafo a uma psicóloga. A ideia é mostrar como é possível usar a arte como ferramenta de mudança, neste caso ao dar voz às histórias de vítimas de violência e à comunidade LGBTQIA+.

Numa segunda fase, o festival muda-se para o Teatro do Bairro, onde vão realizar-se três sessões de cinema documental nos dias 25, 26 e 27 de Junho, sempre às 19.30. Os filmes vêm da Holanda, Reino Unido, Líbano, França e Noruega e todas as exibições são seguidas de debates. “Uma visão plural de alguns dos mais significativos universos da dança contemporânea inclusiva”, promete a organização em comunicado, antes de chamar a atenção para o programa de dia 28. “Teremos a primeira mostra de resultados da performance SOPRO, com coreografia de Bruno Rodrigues [da CiM], que é resultado do projecto No One Forgotten, apoiado pela Europa Criativa.”

O InArt termina a 29 de Junho, com a apresentação das Oficinas Coreográficas, um desafio lançado aos profissionais da CiM – Companhia de Dança, que vão apresentar quatro performances coreografadas por Nelson Moniz, David Fernandes, Maria Inês Costa e Ricardo Machado.

Os bilhetes ainda não estão à venda, mas devem ficar em breve. O melhor é estar atento ao site da Vo’Arte.

Teatro Meridional: 30 Mai-9 Jun, vários horários. Teatro do Bairro: 25-29 Jun, vários horários. Preços sob consulta

Siga o novo canal da Time Out Lisboa no Whatsapp

+ Cultura: mais de 60% das pessoas com deficiência sentem dificuldades na acessibilidade

Escrito por

Rate it

Comentarios de las entradas (0)

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.


0%